Métodos de otimização dos processos produtivos

Alguns métodos para otimizar a produção de uma empresa, reduzindo os gargalos dos processos e estabelecendo uma cultura de melhoria contínua

Solucionar os problemas nos processos produtivos de uma empresa não é uma tarefa fácil. No entanto, um fator essencial e decisivo para que uma empresa se mantenha competitiva e forte no mercado é a manutenção de uma cultura interna de otimização da produção.

Dado essa importância, o texto trabalhará sobre a existência de alguns conceitos importantes sobre a produtividade de uma empresa, assim como os principais métodos existentes que contribuem para gestão e melhoria da produção. Dessa forma, os pontos que serão abordados possuem o intuito de mostrar aos gestores alguns dos principais e mais importantes passos que auxiliam a retirada dos gargalos de produtividade de uma empresa. Vale ressaltar, que, se bem utilizados, esses conceitos e ferramentas poderão introduzir no empreendimento uma cultura produtiva mais eficiente e com menor variabilidade, permitindo o desenvolvimento de um processo com maior qualidade de produção.

Descrição dos Processos

A identificação dos gargalos da produção requer diversas fases. O primeiro passo consiste em descrever os processos realizados e identificar quais deles interferem negativamente na capacidade produtiva da empresa. Essa etapa é fundamental para que se inicie a elaboração de estratégias de otimização da produção.

Uma forma de facilitar o Mapeamento de Processos consiste na utilização do programa Bizagi Modeler, que é uma ferramenta que auxilia o desenvolvimento de fluxogramas de uma empresa.

Detalhamento dos Problemas

Ao se identificar os procedimentos que apresentam os gargalos da produção, é necessário analisá-los para que se obtenha as causas primárias dos problemas em questão. Nesta fase, algumas ferramentas podem contribuir para esse estudo, como é o caso do Diagrama de Espinha de Peixe e do Gráfico de Pareto. Este possui a capacidade de auxiliar a identificação e a priorização das causas de um problema. Dessa forma, possibilita-se solucionar os problemas de forma eficiente e sem despender grandes quantidades de recursos e de tempo. Isto ocorre já que não será necessário aplicar ações de forma genérica em todo um setor que apresenta baixo desempenho.

Elaboração e Execução de um Plano de Ações

Nesse momento, já se identificou quais são os processos que apresentam menor desempenho e quais as principais causas dessa baixa eficiência. Cabe, portanto, ao responsável pela produção determinar as possíveis ações que deverão ser tomadas para solucionar esses gargalos do processo produtivo.

Uma metodologia que possui alta eficácia nas empresas é a Lean Manufacturing, que tem como intuito a otimização, o aumento da qualidade e a redução dos custos dos processos. Ela se baseia na minimização de 8 tipos de desperdícios que interferem negativamente para a eficiência da produção. Além disso, a metodologia Lean utiliza-se de outras ferramentas que auxiliam na melhoria contínua da produção, como o no uso de ferramentas como o Kaizen e Kanban. Deve-se, portanto, identificar qual a melhor estratégia a ser adotada para superar o baixo desempenho de um setor.

É importante ressaltar que essas metodologias aplicadas individualmente nem sempre são suficientes otimizar o processo produtivo. Por isso, simultaneamente, deve-se realizar ações de fortalecimento da cultura produtiva da empresa. O que garantirá o envolvimento de toda a equipe no plano de otimização dos processos.

Análise de desempenho

A última etapa para a otimização da produção é caracterizada pela análise do gestor quanto a eficácia da estratégia adotada. Dessa forma, a “Análise de desempenho” visa garantir que haja a redução dos processos com baixa eficiência produtiva. Assim, é de extrema importância que haja a definição de métricas de avaliação a fim de obter uma análise numérica do desempenho dos diferentes setores em questão.

Ademais, as medidas tomadas a partir de um plano de ação, eventualmente, podem não ser suficientes ou devidamente aplicadas para a resolução dos problemas. Dessa forma, cabe ao responsável pela produção rever seus procedimentos e propor novas práticas de ação.

Powered by Rock Convert

Conclusão

As etapas de execução descritas têm como objetivo otimizar o processo produtivo de uma empresa por meio da diminuição de gargalos e da redução de práticas que não agregam valor ao produto final. Portanto, deve-se, primeiramente, identificar os processos que apresentam baixo desempenho e quais são as causas dessa baixa eficácia. Em seguida é importante que se elabore um plano de ações que seja capaz de otimizar esses processos, colocando-os em prática em conjunto com toda a equipe de produção. Por fim, deve-se mensurar os resultados obtidos e propor melhorias que consigam aprimorar ainda mais a produtividade da empresa.

Esses conceitos podem ser observados no método de gestão proposto pelo Ciclo PDCA, que consiste em quatro etapas, sendo elas: Planejar, Desenvolver, Conferir e Ajustar, que visam o controle e a melhoria contínua dos processos produtivos. Além dos conceitos citados, diversas outras definições e ideias têm surgido com o intuito aumentar a eficiência e a qualidade dos processos produtivos das empresas. A metodologia Lean Six Sigma, por exemplo, surgiu na década de 1980 e hoje é considerada uma das formas mais eficientes de melhorar o desempenho dos processos empresariais.

Ciclo PDCA

Dessa forma, cabe ao gestor de cada empresa definir qual a melhor forma de se otimizar o processo produtivo e instaurar a cultura da melhoria contínua em todos os setores produtivos e administrativos da empresa.

Texto por: Pedro Junqueira – Coordenador de Inbound Marketing PUC Consultoria Jr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *